Governo Doria dá de ombros para Macatuba

Via Rápida abre inscrição para três cursos em Macatuba
14 de fevereiro de 2019
Recuperação após chuva: Anderson propõe Comissão Especial
19 de fevereiro de 2019

Passados 15 dias da maior destruição causada por um fenômeno natural na nossa cidade, até agora, o governo João Doria dá de ombros para o prejuízo superior a R$ 1 milhão causados contra prédios e espaços públicos. O governador sequer dedicou parte do seu tempo para receber ou atender autoridades de Macatuba que buscam meios para reconstruir tudo o que foi devastado.

Uma situação curiosa, pois embora não tenha encontrado espaço na sua agenda para, ao menos, enviar uma mensagem de solidariedade para nossa população, sobrou tempo para se dedicar às redes sociais. Só para se ter uma ideia, entre os dias 3 e 16 de fevereiro, Doria publicou cerca de 140 postagens, na somatória de Facebook, Instagram e Twitter. Uma performance para fazer inveja a vários youtubers.

Enquanto ele se ocupa das redes sociais, servidores públicos, voluntários, municípios vizinhos e empresários cuidam da missão de recuperar a cidade. A limpeza e desobstrução das ruas concluídas em tão pouco tempo só foi possível graças a essa soma de forças. As obras que estão em andamento no posto de saúde do Santa Rita e no Almoxarifado Municipal estão sendo realizadas e custeadas por uma empresa da nossa região.

Com o silêncio absoluto do governador sobre o tema, as poucas pessoas do seu staff que encontraram tempo para tomar conhecimento do ocorrido não sinalizaram que existe disposição do governo estadual em viabilizar, com a velocidade adequada, a liberação dos recursos necessários.

Mas, convenhamos, a falta de empenho do governo estadual para atender as demandas e honrar os compromissos assumidos com Macatuba não é uma novidade do atual mandatário. Como exercício de memória, vou resgatar dois episódios emblemáticos e que nunca deveriam ser esquecidos pelos macatubenses:

Setembro de 2012: Pedro Tobias, atual presidente estadual do PSDB, esteve por aqui e subiu no palanque de um dos candidatos a prefeito da época. Registra o extinto Jornal de Macatuba as palavras do parlamentar: “[…] vamos continuar apoiando Macatuba, inclusive com a criação de uma ETEC na cidade. Um compromisso que assumo hoje com vocês.” Alguém sabe dizer onde foi construída essa ETEC?

Outubro de 2013: depois de uma forte chuva atingir a cidade, comprometendo a estrutura do terminal rodoviário, a inercia do governo Alckmin foi gritante. Somente em abril de 2015 o governo estadual firmou convênio com o município para a reconstrução da cobertura, que foi entregue quase 3 anos depois de ser danificada.

Com razão, algumas pessoas podem se perguntar: mas é dever do estado arcar com isso? E os recursos do próprio município? A explicação para a incapacidade financeira do município conseguir arcar sozinho com as obras de recuperação reside, em boa parte, em uma mudança endoçada pelo próprio governo estadual há alguns anos, quando retirou parte significativa do ICMS do setor canavieiro dos municípios produtores e destinou esse valor para a cidade de Santos. Proporcionalmente, Macatuba foi o município que mais perdeu receita no estado de São Paulo com essa medida.

Há pouquíssimo tempo, porém, o interior do estado recebia mais atenção de João Doria. Vale a pena resgatar suas palavras quando esteve em Bauru, em abril de 2018, para lançar sua pré-candidatura, registradas em um vídeo postado nas suas redes sociais: “[…]viemos aqui para lançar a nossa pré-candidatura ao governo do estado de São Paulo e mais do que tudo, para ouvir, para buscar os conselhos, para buscar informações, para mostrar e receber aquilo que de mais importante um governo democrático pode ter, a capacidade de interagir de forma descentralizada,  e participativa e lançamos aqui uma ideia transformadora, criar a secretaria do interior […] a secretaria do interior vai permitir que prefeitas e prefeitos do interior, vereadores e deputados tenham um ponto de convergência para levar e analisar as suas propostas com velocidade, com eficiência e sobretudo com respeito”.

Alguns políticos mais experientes recomendam que vereador não se posicione contra o governador, contra deputados ou senadores, pois isso “fecha portas”. Discordo! De que adianta manter portas abertas para cafezinho se não resolvemos os problemas que atingem nossa população?

Torço muito para ser desenganado, já nos próximos dias, pelas autoridades estaduais. Se isso acontecer, faço questão de escrever novas linhas reconhecendo meu equívoco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buy now